Sinsap abre Seminário Internacional de Pesquisa em Prisão

O presidente do Sinsap André Luiz Santiago, participou nesta quarta-feira da abertura do Seminário Internacional de Pesquisa em Prisão, na Universidade Federal da Grande Dourados. O evento que reúne estudiosos do assunto em todo país, está em sua IV edição. O congresso tem o intuito de ampliar e fomentar o intercâmbio de pesquisadores, estudantes, ativistas e gestores e a divulgação de trabalhos de ponta, e com isso conta com a presença de pesquisadores da Europa e das Américas na área de pesquisa em prisão. Para Santiago, iniciativas como essas são fundamentais para que o Sistema se torne eficaz e humano, e fala sobre a importância da participação do Sinsap. “O Sindicato agradece a confiança e acredita que somente desta forma é possível desenvolver estratégias que de fato atenderá a necessidade de todo o Sistema. A academia tem o papel de promover esses questionamentos, e apresentar propostas de mudança. Mas é primordial que esses estudos não fiquem apenas nos livros, mas que sejam aplicados essas propostas de solução”, ressalta.


 

Pela primeira vez Mato Grosso do Sul é sede de um evento internacional para discutir o Sistema Prisional. O Seminário anual é organizado pela Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pós-Graduação (ANDHEP). O evento já aconteceu em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. Para André a escolha do estado foi extremamente relevante já que se trata de uma das maiores massas carceraria do Brasil. “A situação do nosso Estado precisava mesmo ser vista e analisada no meio dos docentes e discentes, já que a nossa ralidade é uma das mais precárias, por se tratar de uma região de fronteira, nos tornamos um corredor para o tráfico de drogas, onde o índice de violência é alarmante, aumentando assim a migração da criminalidade.” enfatiza o presidente.


 

A crise do sistema carcerário brasileiro, hoje evidenciada pelas inúmeras rebeliões ao redor do país, é oriunda de um cenário de anos de gestões irresponsáveis na condução da segurança pública do Brasil. Mais do que nunca faz-se necessário o fomento à pesquisa sobre prisão e Direitos Humanos, principalmente sob a perspectiva do aprendizado com outras experiências positivas, ao contrário da reprodução de medidas populistas, mas ineficientes. O Seminário Internacional de Pesquisa em Prisão tem se colocado, como um dos polos de discussão e difusão do pensamento tecnicamente crítico sobre tal tema, sendo fundamental sua vinda ao Centro-Oeste para o estímulo de tais temáticas na região.

O Seminário busca fomentar o pensamento crítico e técnico acerca da realidade prisional brasileira e internacional, estabelecendo diálogos entre pesquisadores de diversas áreas do campo dos Direitos Humanos. o evento termina nesta sexta-feira.