Agentes Penitenciários aprovam mobilização para sexta-feira em assembleia.

Agentes Penitenciários participaram de uma assembleia Geral Extraordinária nesta segunda-feira, 27, ocasião em que o Sindicato esclareceu como está o andamento da Negociação Salarial, fazendo um panorama geral da situação financeira do Estado, com base nos dados apresentados pelo executivo estadual. Santiago enfatizou que o Governo propaga um quadro drástico para as finanças do estado, onde alega não ter condições para conceder a reposição inflacionaria do período. Porém observa que existem muitas incoerências nesse discurso, já que o Governo aumentou o número de comissionados, elevou o próprio salário e o dos Secretários de Estado. Além disso, os servidores públicos dos demais poderes receberam regularmente as correções salariais, e constantemente são contemplados com uma serie de benefícios, penduricalhos e ajudas de custos diversas, contraditórias para um momento onde impera contenção de despesas e redução de custos. Santiago enfatiza que se existe crise, ela tem que ser partilhada com todos os servidores. A crise não pode atingir apenas os servidores do poder executivo.

Após os esclarecimentos a Categoria decidiu realizar mobilização com padronização das atividades penais na próxima sexta-feira (31), para tentar viabilizar a reposição inflacionária de 4,58% aos agentes penitenciários, além de incorporação do abono de R$ 170. O governador Reinaldo Azambuja alega que a folha de pagamento está acima do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A decisão tomada em assembleia terá impacto nos atendimentos nas unidades penais, devido a redução de alguns atendimentos. Na ocasião ficou definido também uma mobilização às 10 horas em frente a governadoria, com as demais categorias relacionadas a segurança pública, e a previsão  é que outras classes também venham a aderir.

 

Durante a reunião ainda ficou aprovada a assembleia permanente.

" Na próxima quinta-feira esta prevista uma reunião com representantes do Governo, por isso precisamos que os servidores fiquem atentos, pois a participação de todos é fundamental, caso contrário não teremos exito nas mobilizações", enfatiza o presidente do Sinsap, André Luiz Santiago.